Com R$ 3,8 milhões ainda empenhados, 34 bombeiros chegam para combater incêndio no Pantanal

Militares do Paraná já estão em Campo Grande e devem seguir para combate as chamas no Pantanal ainda esta semana

Equipes combatem incêndios. (Foto: Divulgação Ibama)

Mato Grosso do Sul recebeu esta semana 34 militares do Corpo de Bombeiros do Paraná, que atuarão no combate às chamas no Pantanal. O apoio vem junto ao empenho de R$ 3,8 milhões, que serão destinados às ações de combate as queimadas em todo o Estado. O valor deve ser liberado pelo Governo Federal ainda esta semana para a conta da Defesa Civil.

O secretário da Semagro (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruk destacou que já foi feito um primeiro plano de trabalho, para traçar as ações de reforços. Segundo ele, a chegada dos militares do Paraná em Campo Grande foi um dos pedidos do Estado de MS, que também buscou apoio ao Governo de Santa Catarina – para mais bombeiros -, e helicóptero ao Governo de Minas Gerais.

Para o Pantanal, a necessidade é de mais militares dos bombeiros. “Também precisamos de avião agrícola”, destacou  Verruk. “É importante destacar que não só o Pantanal receberá reforço. Temos por exemplo Alcinópolis, Três Lagoas, Campo Grande e Ponta Porã, que também receberão reforços nas ações por conta da situação crítica com as queimadas”, completou.

Um exemplo é o Parque Estadual das Nascentes do Taquari, em Alcinópolis, que enfrenta situação crítica e já teve 50% de sua área consumida pelo fogo. “Lá hoje estão 200 homens e três aviões atuando no combate as chamas. Conseguimos conter em Alcinópolis e agora atuamos em Costa Rica, que também foi atingida”, destacou o secretário. Com o recurso, o local receberá apoio de caminhões pipa.

Ainda, segundo o secretário, com o recurso será realizada a locação de máquinas. “Está em um segundo plano de trabalho, a locação de máquinas, que é extremamente importante para abrir determinadas áreas para segurar o fogo”, explicou. Outra ação eficaz de combate, é um retardante misturado na água. “Estávamos com receio de usar, por conta desse produto deixar resíduos no ambiente, mas recebemos um laudo de Poconé, que já usou o retardante e foi verificado que ele não agride o ambiente”, finalizou.

Recurso de R$ 3,8 milhões

Nesta terça-feira (15), Mato Grosso do Sul recebeu R$ 3,8 milhões do Governo Federal para ampliar as ações de combate aos incêndios florestais que atingem os biomas Pantanal, Cerrado e Mata Atlântica. Os recursos foram liberados pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, em agenda com o governador Reinaldo Azambuja, em Campo Grande.

“O dinheiro será utilizado em contratação de horas de voo e na compra de combustíveis e equipamentos que vão dar aos brigadistas condições de enfrentar os incêndios que acometem o Estado”, explicou o ministro. A destinação do recurso consta em plano de operações aprovado pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil.

Com o apoio financeiro, o trabalho de combate às chamas que já vinha sendo realizado há mais de 90 dias no Pantanal será estendido para os biomas da Mata Atlântica e do Cerrado, em especial no Parque Estadual das Nascentes do Taquari, no município de Alcinópolis, que enfrenta situação crítica e já teve 50% de sua área consumida pelo fogo.

A força-tarefa de combate ao fogo é monitorada pelo Imasul (Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul). No Pantanal, o trabalho de combate às chamas é feito por 230 homens – entre brigadistas do Ibama/Prevfogo e militares do Corpo de Bombeiros (Mato Grosso do Sul e do Paraná), além de militares da Marinha.

Já no Cerrado, na região do Parque Estadual das Nascentes do Taquari, são 140 homens entre militares do Corpo de Bombeiros e do Exército Brasileiro.

Outros 500 brigadistas voluntários estão apagando fogo em todo o Estado, informou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Ela acompanhou o ato de liberação de recursos e informou que o ministério contabiliza as perdas registradas pelos produtores de florestas plantadas em Mato Grosso do Sul. “Estamos levantando isso para ver como podemos ajudar”, disse.

Emergência ambiental

Mato Grosso do Sul entrou em estado de emergência ambiental na segunda-feira (14) por causa do fogo que já consumiu mais de 1.450.000 hectares de florestas. Com a situação reconhecida pela União, o Estado deve receber mais recursos federais nos próximos dias.

De 1º de janeiro a 13 de setembro deste ano, o fogo já consumiu mais de 1,1 milhão de hectares no Pantanal sul-mato-grossense e mais de 1,7 milhão em Mato Grosso.

Fonte: Midiamax

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: