Suíça diz que vai apoiar o desenvolvimento da vacina cubana contra a Covid-19

O cientista suíço Franco Cavalli informou nesta sexta-feira (13) que o imunizante cubano contra a Covid-19 terá financiamento governamental e privado da Suíça

(Foto: Mídia cubana)

Sputnik – “Posso dizer que estou extremamente satisfeito com minha visita. Agora estou muito mais otimista sobre as possibilidades reais que as vacinas cubanas oferecem, uma arma eficaz na luta global contra a Covid-19”, afirmou Franco Cavalli, segundo a Associated Press. O cientista informou na última sexta-feira (13) que o imunizante cubano contra a Covid-19 terá financiamento governamental e privado da Suíça.

No comunicado, ao lado do médico estavam o embaixador suíço em Cuba, Mauro Reina, e o cientista cubano Agustín Lage.

​Realizamos uma reunião com o Dr. Franco Cavalli, presidente da MediCuba, que conclui uma visita de trabalho a Cuba. Valorizamos os resultados positivos da cooperação com esta ONG e a vontade de aprofundar nosso relacionamento. O Acordo de Cooperação foi assinado entre a Bio Cuba Farma e esta ONG.

Cavalli prometeu apoiar financeiramente o Instituto Finlay, em Cuba, onde duas possíveis vacinas estão sendo desenvolvidas. Uma delas, denominada Soberana 01, e que está em processo avançado de testes clínicos, pode estar pronta para fevereiro ou março de 2021.

Desde que a pandemia começou na ilha em março, um dos institutos liderados pelo médico europeu forneceu para Havana 600 mil euros (cerca de R$ 3,8 milhões) para testes de diagnóstico e respiradores.

O financiamento suíço seria “principalmente para comprar equipamentos necessários para medir os efeitos da vacina no sangue, o que nos permite ver exatamente como as diferentes famílias de linfócitos se distribuem”, explicou Cavalli.

Cavalli, porém, não especificou o valor da cooperação planejada. Como explicou, a vantagem da vacina cubana é que ela não trabalha com o vírus vivo, mas com um fragmento dele.

O cubano Agustín Lage indicou que, uma vez pronta a vacina, a indústria farmacêutica da nação caribenha tem “capacidade tecnológica” e experiência para a produção em massa e até mesmo para vendê-la.

Fonte: Brasil 247

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: