Ação não autorizada em apoio ao opositor russo Navalny decorre em Moscou e outras cidades da Rússia

Sputnik – Autoridades russas têm avisado contra a participação de manifestações não sancionadas a favor do membro da oposição do país, referindo possíveis provocações e a pandemia da COVID-19.

Ação não autorizada decorre neste sábado (23) em Moscou e outras grandes cidades por toda a Rússia em apoio a Aleksei Navalny, oposicionista russo.

Foram realizadas detenções em uma manifestação não autorizada na Praça Pushkin em Moscou, que reuniu cerca de 4.000 pessoas, segundo o Ministério do Interior. Algumas das pessoas carregavam cartazes e escondiam completamente seus rostos com capuzes, cachecóis e máscaras ao mesmo tempo. No local também estavas presente um grande número de jornalistas.

Além disso, estão decorrendo manifestações semelhantes em São Petersburgo, Novossibirsk, Khabarovsk, Vladivostok, Ekaterinburgo e outras cidades.

As autoridades da Rússia têm expressado preocupação com os apelos que soaram na Internet, feitos por apoiadores do blogueiro, para participar dos protestos.

O Ministério do Interior da Rússia e a Procuradoria-Geral do país advertiram repetidamente sobre a responsabilidade criminal, tanto dos organizadores quanto dos participantes comuns, dos protestos não sancionados planejados em Moscou e outras cidades no sábado (23), considerados como provocações e ameaça à ordem pública, e que serão “imediatamente suprimidos”.

A participação de protestos tem também sido proibida devido à pandemia da Covid-19, com as concentrações de pessoas contribuindo para a disseminação do novo coronavírus.

Oposicionista russo

Aleksei Navalny adoeceu a bordo de um voo doméstico russo em 20 de agosto de 2020, tendo sido tratado inicialmente na cidade siberiana de Omsk após o avião realizar uma aterrissagem de emergência. Os médicos locais disseram que ele sofria de um distúrbio metabólico, e que não foram encontrados vestígios de veneno no seu corpo.

Em 22 de agosto, o oposicionista foi levado para tratamento à Alemanha, recebendo alta no hospital Charité de Berlim em 22 de setembro. Países no Ocidente acusaram Moscou de o envenenar com a substância tóxica Novichok, entretanto, não foram entregues à Rússia documentos oficiais sobre os resultados da análise. O ativista não compareceu a tempo ao departamento de liberdade condicional para regressar à Rússia.

No domingo (17), Navalny foi preso em Moscou após regressar de avião desde a Alemanha, sendo acusado de violar condições de pena suspensa de prisão. Aliados do opositor convocaram protestos no sábado (23), depois que ele foi colocado sob custódia de 30 dias.

Fonte: Brasil247

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: