‘É preciso olhar o investidor, mas também o brasileiro’, diz general indicado por Bolsonaro para presidir a Petrobrás

247 – O general Joaquim Silva e Luna, indicado por Jair Bolsonaro para presidir a Petrobrás no lugar de Roberto Castello Branco, afirmou neste sábado (20) que, para a gestão da empresa, “é preciso olhar o investidor, mas também o brasileiro” e evitou fazer previsões sobre os rumos da petroleira em sua futura gestão. 

“São três aspectos na situação atual que precisam ser levados em conta: a valorização do petróleo e do dólar, o interesse do investidor, que está de olho no preço das ações, e também o interesse do país e do brasileiro que precisa se locomover e abastecer seu veículo”, afirmou ao blog da jornalista Ana Flor, do G1. “É preciso olhar o investidor, mas também o brasileiro”, completou.

Atual diretor da Itaipu Binacional, Silva e Luna disse que estaria sendo “invasivo” e “ilegítimo” se opinasse sobre os rumos da Petrobrás antes de ter o nome aceito pelo conselho da empresa. O militar reforçou ainda que é um gestor reconhecido e que pretende atuar para manter a Petrobras como uma empresa rentável e que orgulhe o país.

A indicação de um militar para presidir a Petrobrás provocou forte reação de políticos da oposição, como a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e também da direita, como o PSDB, que chamou Bolsonaro de comunista por interferir na política de preços.

Fonte: Brasil247

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: